Nas últimas décadas as associações e as fundações cresceram, consideravelmente, em número e em relevância. Isso pode ser atribuído à conscientização da importância do exercício da cidadania e, sobretudo, às mudanças que o Estado brasileiro vem sofrendo em decorrência de reformas que objetivaram a descentralização da Administração Pública.

Essas organizações da sociedade civil, integrantes do chamado “Terceiro Setor”, desempenham um importante papel no fortalecimento da democracia, e, em conjunto com os movimentos sociais, são apontadas como responsáveis pelo processo de promoção de uma nova articulação entre o Estado e a sociedade, e pelo surgimento de uma “esfera pública não estatal”.

Além da relevância política, deve-se destacar a importância econômica do Terceiro Setor, especialmente quanto à capacidade de emprego de mão-de-obra, formação do voluntariado e geração de renda, por meio da oferta de bens e serviços.